quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Integrante da facção criminosa PCC é preso em Mombaça

Um homem pertencente à facção criminosa do PCC, que vem atuando no estado do Ceará, foi detido na última quarta-feira (29), no município de Mombaça (296 Km de Fortaleza). A operação do Comando Tático Rural (Cotar) foi comandada pelo Capitão PM Rodrigues. 

O homem identificado apenas como Salomãofoi abordado pelo Cotar e estava com dois mandados de prisão em aberto, sendo um do mês janeiro do ano de 2006 e outro de outubro de 2012. O suspeito estava acompanhado de um traficante de drogas identificado comoVicente, que prestava serviço para o integrante do PCC.
Salomão foi encaminhado à Delegacia Municipal de Mombaça. Foto: divulgação/Cotar
Segundo informações do capitão PM Rodrigues, Salomão estaria em Mombaça para matar um terceiro homem identificado como "Clebim", que é envolvido com uma quadrilha de distribuição de entorpecentes. Os homens desta quadrilha foram identificados apenas como 'Quelton', 'Júnior', 'Russo' e 'Amarelo'.
O bando de "Clebim"  foi preso com 150 quilos de maconha dentro de um ônibus em Mombaça. Todo o material seria distribuído nos municípios de Senador Pompeu, Pedra Branca e Mombaça.

Fortaleza: Delegado confirma que arma usada em vídeo não é de brinquedo

Delegado confirma que arma usada em vídeo não é de brinquedoO delegado geral da Polícia Civil, Andrade Júnior, afirmou ao O POVO Online, nesta quinta-feira, 30, que a arma utilizada por um homem, em um vídeo que passou a circular na internet na última terça-feira, 28, não seria de brinquedo: "Ali, claramente não é um simulacro, qualquer um que conhece arma de fogo percebe. Ela (a arma) apresenta recuo - e as de brinquedo não". O vídeo estava na página do Facebook de Ronald David.

O advogado do jovem, Paulo Pimentel, chegou a divulgar que a arma seria de brinquedo. Procurado pelo O POVO, Pimentel preferiu não comentar o caso."Ele já está à disposição da Polícia para prestar os devidos esclarecimentos. A defesa prefere não se pronunciar no momento, porque já tem um inquérito em aberto. Já foi baixada portaria para apurar os fatos", explicou.

Ainda de acordo com o delegado Andrade Júnior, o inquérito instaurado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga também se o acusado estaria sob efeito de alguma substância: "Se isso for provado, ele irá responder pelo crime ou pelos crimes cometidos".

As imagens que mostram um homem atirando em via pública foram publicadas no perfil de Ronald David no Facebook, na última terça-feira, 28. Horas depois, o vídeo foi deletado e o perfil desativado. Entretanto, usuários que tiveram acesso ao vídeo anteriormente, o compartilharam nas redes sociais. 

DUPLA TROCA TIROS COM EQUIPE 37 DO RAIO E SÃO PRESOS

Um homem foi morto a tiros por uma dupla armada na avenida João Pessoa, próximo ao Bar Avião, na Parangaba, por volta das 17h40 desta quinta-feira, 30. Equipes do Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio) que faziam o patrulhamento na área efetuou a prisão dos suspeitos.

Segundo o comandante do Raio, major Márcio Oliveira, os policiais flagraram a fuga dos dois homens armados após o crime. Durante a abordagem policial, a dupla reagiu e trocou tiros com os agentes da equipe 37 do Raio. Um dos suspeitos foi baleado na perna. Os dois foram presos e, com eles, apreendidos dois revólveres e uma pistola ponto 40.

A vítima foi identificada como Maicon Sales Mota, segundo o tenente Oliveira Júnior, que atendeu a ocorrência. Os dois homens presos são: Gregório Moura da Paz e Renan Pereira da Silva. De acordo com o tenente, a dupla informou aos policiais que Maicon já havia praticado um atentado contra eles.

O tenente Oliveira Júnior informou ainda que a equipe do Raio está esperando o delegado da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) para determinar para onde os dois homens serão encaminhados.

Pedido de baixa por soldados da PMMT aumenta 40%; baixos salários seriam a causa

Quarenta e cinco policiais militares mato-grossenses abandonaram a carreira pedindo baixa em caráter irrevogável em 2013, uma média de 3,7 ao mês. Esse índice representa um aumento de 40,6% em relação às demissões protolocadas em 2012, ano em que 32 policiais deixaram a PM espontaneamente.
Apesar de não haver detalhamento oficial, sabe-se que a maioria era soldado com menos de cinco anos na atividade militar. Na primeira quinzena de 2014, dois soldados já abandonaram a farda.
Renan Gonçalves de Oliveira, 29, que ingressou na Polícia Militar há pouco mais de três anos, acaba de abandonar a profissão. Esta semana, o ex-soldado Gonçalves, como era denominado, esteve no Comando Geral, em Cuiabá, para entregar a farda e assinar seu desligamento da corporação.
Lotado inicialmente em Alta Floresta (780 km de Cuiabá), onde mora e serviu por dois anos, Gonçalves foi transferido para Paranaíta, a uma distância de 62 quilômetros.
A transferência, mesmo imposta, não seria a principal causa da demissão. O baixo salário e a sobrecarga de trabalho, diz, foram os itens que mais pesaram. Com um salário bruto de R$ 2.366, Gonçalves observa que recebia líquido cerca de R$ 1.900 para trabalhar em regime de 24 horas de trabalho por 24hs de descanso.
Casado e com um filho de dois anos, o ex-soldado percebeu, segundo ele, que com o salário de policial não teria como manter duas casas, da família em Alta Floresta, e a dele, em Paranaíta.
Quando ingressou na carreira, Renan Gonçalves, que antes era jogador de futebol, acreditava que poderia ascender na carreira.
“Vi que praticamente não existem chances, que são necessários, no mínimo, 12 anos para sair de soldado para cabo”, observou. Convidado pelo irmão, Gonçalves escolheu atuar em uma escolinha de futebol que está sendo criada em Alta Floresta.
De acordo com o vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados, Joelson Fernandes do Amaral, os baixos salários estão fazendo a PM perder policiais. Além das demissões espontâneas, há aposentadorias e exonerações disciplinares, somando uma média de 250 desligamentos ao ano. Os concursos públicos, pondera, não conseguem repor o efetivo.
Joelson reconhece o clima de insatisfação vivido pelos PMs, mas explica que está sendo elaborado o plano de cargos e carreira que deve ser apresentado ao governo até o dia 10 de fevereiro.
Há alguns meses, os próprios policiais lançaram campanhas de mobilização por menores salários, espalhando outdoor e mensagens nas redes sociais. “Não queremos continuar com o quarto pior salários do país”, completa o cabo Elizeu Nascimento, um dos líderes da campanha.
soldado
o ex-soldado Gonçalves deixou a PM este mês

CRIMINALIDADE EM ALTA, POLICIAIS EM BAIXA

O Brasil está vivendo dias de guerra civil em tempos de paz, a violência está alcançando índices incontroláveis.
Infelizmente o aparelho policial está perdendo a guerra contra o crime, mas não é unicamente culpa das polícias, num país onde não funcionam como deveria, educação, saúde, segurança, programa habitacional, reforma agrária, etc..., sobra para as polícias resolverem os problemas. Principalmente a Polícia Militar, que é envolvida desde uma festa particular até na resolução de um conflito agrário.
Nossa legislação penal é altamente complacente com a marginalidade, principalmente para com os crimes praticados por criminosos do colarinho branco, é são esses que muitas vezes incentivam o surgimento de outros bandidos menos prestigiados, mas que contribuem com a criminalidade.
E o policiais como ficam diante da ineficácia das leis, e da perseguição que sofrem por parte de tantos órgãos fiscalizadores, não fiscalizadores de bandidos, mas de policiais. Ficam engessados, não se pode pensar em pender corruptos poderosos, que a primeira preocupação é evitar que sejam algemados, nunca ao longo da minha vida de policial havia ouvido falar em Embargos infringentes, mas quando da prisão de celebridades, o povo do país inteiro conheceu tal recurso, acredito que nunca havia ouvido falar em tal recurso, porque os bandidos pés de chileno que prendemos não tem acesso a tamanho recurso jurídico.
Apreender menores assassinos, estupradores, ladrões, sequestradores, é outro dilema, se não tomarmos muito cuidado com os “DIMENOR” somo nós que vamos parar na cadeia, e em muitos casos essas “crianças” medem 1,80m pesam 90 quilos, e tem 17 anos 11 meses e 29 dias de idade, ou seja, são inocentes no dia que cometem o crime, e no outro dia já são homens em pleno gozo das faculdades mentais.
No estado democrático de direito, onde todo cidadão pode se expressar livremente, exceto os policiais e bombeiros militares, o povo se organiza para manifestar sua angústia e anseios, e acaba tudo em violência, depredação, queima de ônibus, automóveis, etc..., e mais uma vez lá estão os policiais militares, que em seguida às manifestações, serão alvos de acusações de abuso de poder, de plantarem provas falsas contra manifestantes, de espancarem cidadãos em pleno direito de expressão.
Gostaria de saber qual o significado e qual a efetividade de atear fogo em ônibus e automóveis, quebrar bancos de praça, orelhões, vidraças? Mas tudo isso não significa nada diante dos supostos abusos cometidos por policiais.Enquanto o Brasil não se libertar da hipocrisia, enquanto não decidirem se querem polícia ou bandido, se não houver alteração nas leis, enquanto a criminalidade não for considerada um problema de Estado e não de governo, vamos continuar à assistir bandidos mandarem fechar lojas pela morte de outro bandido.
Enquanto não restituírem o poder de polícia aos policiais brasileiros, vamos assistir os criminosos cometerem as maiores atrocidades e infelizmente ter receio de agir, porque os policiais desse país estão virando alvos fáceis, da bandidagem e da legislação brasileira, que é implacável contra os trabalhadores da segurança pública.
Fique com Deus, abraço.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

PMCE: 64 SARGENTOS SERÃO PROMOVIDOS A SUB TENENTE DENTRE OUTRAS PROMOÇÕES

 

Polícia Militar promove 600 Praças e Oficiais

 A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), através da Polícia Militar do Ceará (PM-CE), realiza nesta quinta-feira (30), solenidade cívico-militar para promoção de Oficiais e Praças da Corporação.
A ascensão funcional é retroativa a 2013 e envolverá um total de 601 Oficiais e Praças. Entre os Oficiais, serão 37 promovidos, sendo três deles ao posto de Coronel, dez ao posto de Tenente-Coronel, dez ao posto de Major, nove a Capitão e cinco ao posto de Tenente. Além desses, serão 564 Praças promovidos. Sessenta e quatro serão graduados a Subtenente, 223 a Sargento e 277 a Cabo.
A solenidade, prevista para às 16 horas, no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar do Ceará, (à Avenida Aguanambi, 2280, bairro de Fátima) contará com a participação da Banda de Música da Polícia Militar.

Iniciamos o ano de 2014 em um clima de quase guerra

Iniciamos o ano de 2014 em um clima de quase guerra. A insegurança ocupa os espaços de destaque da grande mídia e das redes sociais. Os assaltos, os roubos, o tráfico de drogas e os assassinatos continuam crescendo em toda parte e, em algumas cidades, avolumam-se também situações de extrema gravidade como a queima de veículos lotados de pessoas, ordenadas de dentro de presídios.

As prisões, que deveriam ser espaços de segregação e de reeducação social dos que cometem delitos, perderam significativamente estas funções, tornando-se paradoxalmente estruturas de aperfeiçoamento de bandidos e centros de comando para operações criminosas.

Está instalada uma inversão de valores: os encarcerados dão as cartas e os cidadãos se veem forçados a entrar no jogo determinado por eles. Sentindo-se vulneráveis, muitos estão procurando esconder-se elevando os muros, blindando carros e contratando seguranças pessoais e eletrônicas.

É desconcertante constatar-se que o crime tem se revelado mais bem organizado do que a sociedade e os governos, vencendo muitos dos confrontos nos quais os interesses da marginalidade se sobrepõem aos do bem comum. Os bandidos ganham espaços aproveitando-se de posturas individualistas de boa parte da sociedade e da ineficiência das ações de governantes voltados prioritariamente aos embates da luta pelo poder.

A conivência, o despreparo e a falta de compromisso da parte de muitos agentes responsáveis pelo cumprimento da lei facilita a atuação dos criminosos e dificulta o exercício do papel do Estado na proteção dos direitos do cidadão. Nada é mais espantoso do que a incapacidade das autoridades policiais e carcerárias em banir o uso de armas, drogas e dos telefones celulares por parte dos detentos, quando é sabido por todos que este é o principal meio de comunicação entre os mandantes e os executores de atos criminosos a partir de presídios.

Existe no ar uma indesejável e generalizada sensação de derrota e de descrédito por todo o país. Desiludida com a capacidade do poder público de encontrar soluções para o problema, a sociedade está desmobilizada, quase apática. Não há como continuar assim. O não enfrentamento coletivo e articulado desta realidade está trazendo prejuízos incalculáveis às pessoas e ao país.

A indignação demonstrada pela sociedade contra essa situação, exige que cada um de nós deixe de lado a comodidade e busque nas nossas famílias, entidades representativas, associações de bairros, instituições religiosas, partidos políticos, enfim, onde possa, alguma forma de articulação de esforços visando criar alternativas para uma reação estruturada, efetiva e duradoura.

Considerando que 2014 é um ano eleitoral e de Copa do Mundo tenho a sensação de que a insegurança em Fortaleza poderá ser agravada em escala realmente incontrolável. Mas isso somente ocorrerá se não estivermos unidos e organizados.

São Miguel Fortaleza: execuções são um repto à Segurança Pública

A execução da comerciante Maria Edileuza, no bairro do São Miguel, por supostos membros da gangue do Coqueirinho – após dez meses em que ela denunciou ao O POVO estar sendo ameaçada de morte – é a mais nova afronta do crime organizado à sociedade fortalezense e um repto desmoralizador à Segurança Pública do Estado. 

A vítima – Maria Edileuza -, como se soube, teve dois filhos assassinados por suposto envolvimento com o mundo das drogas: o primeiro, em 2006, o outro, fuzilado, acintosamente, em abril passado quando saía do Fórum Clóvis Beviláqua, depois de prestar depoimento. Agora, chegou sua vez. Estava marcada para morrer, e todos sabiam disso, inclusive a Polícia. A ameaça foi levada à imprensa, ao Ministério Público, à Justiça, à delegacia do bairro e aos policiais militares responsáveis pelo policiamento da área. Tudo inútil.

Dar proteção significava investir na identificação e punição dos envolvidos nas mortes de seus filhos e nas ameaças contra ela mesma. O fato poderia passar como tantos outros, se não fosse um detalhe: mais de 60 pessoas (o número pode chegar a 200), envolvendo traficantes e gente de bem foram executadas no bairro, desde 2002. Nada causa temor a esses criminosos, pois têm certeza da impunidade. No entanto, todo mundo sabe quem são, onde se reunem e o que praticam. 

O medo e a falta de confiança (e isso é muito marcante) nos órgãos encarregados de combater a criminalidade torna as pessoas mudas. Isso, no entanto, não pode ser justificativa para a inação dos órgãos de investigação e repressão. As pessoas têm razão em não falar, pois estão à mercê dos bandidos e (digamos a verdade) suspeitam dos próprios policiais. O que deveria ser feito, então? Um trabalho de inteligência, através da infiltração de agentes nessas comunidades para identificar os bandidos e flagrá-los em ação. Não se resolve questões como essa sem trabalho de inteligência. As áreas de maior atuação dessas gangues já estão identificadas, assim é possível concentrar nelas esse tipo de investigação. Além, é claro, do policiamento ostensivo, massivo, nessas áreas.

O inadmissível é permitir que os bandidos continuem a zombar do poder do Estado e a infernizar impunemente a vida dos cidadãos.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

CLUBE DOS OFICIAS PMCE: EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLÉIA GERAL

Nós últimos dias a mídia vem noticiando uma crise do oficialato Cearense devido a questão salarial em relação ao que ganha o BPChoque e o Raio, e com as faixas que foram fixadas em vários pontos os boatos só vem crescendo.
O Clube dos Oficiais da PMCE, resolve convocar todos os oficiais ativos, inativos e de folga da polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Ceará para uma assembleia extraordinária que acontecerá no Clube dos Oficiais da PMCE/CBM no dia 22 de Fevereiro. Na assembleia serão discutidos temas como as promoções de Praças e Oficiais da PMCE e CBM, a regulamentação da jornada de trabalho, entre outros temas.
Agora é momento de sabermos se os oficiais estarão engajados nessa luta, será que eles comparecerão a Assembleia Geral?
Veja na imagem abaixo o edital de convocação.

Nem mesmo para rezar o Fortalezense tem mais sossego

Assaltos na igreja
Leitor denuncia que nem mesmo para rezar o fortalezense tem mais sossego. Na Igreja da Paz, próximo à Avenida Desembargador Moreira, munidos de revólver, marginais ficam à espreita, só esperando que o fiel saia da igreja, para tomar todos os seus pertences. E não há a quem recorrer, porque nos dias de missa nos finais de semana, não tem policiais nas proximidades do templo. Nem mesmo o padre se interessa pelas reclamações das vítimas, certamente por não ter condições de fazer nada.

DIARIO DO NORDESTE

Em 2013, houve, no Ceará, 88 assaltos a banco

E, na linha doida...
Espanto, e enorme, senti ao deparar, neste "Diário", a informação de que, em 2013, houve, no Ceará, 88 assaltos a banco, com direito a dinamites, metralhadora etc; neste ano, até semana passada, já são 3; e, finda a ação, não sobram pedras sobre pedras. Consultei um de meus botões - especialista em "No Ceará não tem disso não" - e o tal botão tranquilizou-me, fazendo-me ver que tudo isso é fogo de palha; as autoridades estão trabalhando com afinco, sobretudo na área da inteligência, e, sem dúvida, o bem vencerá.

Linha doida...2
- Mas, meu caro, quem imaginaria que, em Guaramiranga, com uma simples rua principal, explodiriam um caixa eletrônico... - Não terminei a frase; e o tal botão, ajeitando a linha, recolheu-se, solerte, a uma de suas casas.

Linha doida... 3
Antes, porém, deixou cair ao chão um manual de sobrevivência, incluindo primeiros socorros e indumentárias especiais. Não lhe entendi o gesto. Também quem me mandou ter tão somente o Diploma do Curso de Datilografia?

COLUNA E...

FISCAIS DA ADAGRI CE RECLAMAM QUE NÃO RECEBEM GRATIFICAÇÃO POR INSALUBRIDADE

Adagri: iguais e desiguais


Leitores desta coluna têm enviado mensagens abordando a questão da Agência de Defesa da Agropecuária do Ceará (Adagri), cujos servidores se encontram em estado de greve. Um deles - com o anonimato preservado, mas bem identificado - lamenta que o Governo do Estado trata de maneira desigual os iguais. "Por exemplo: os fiscais ambientais da Semace, dois meses após sua admissão, passaram a receber gratificação por insalubridade. Essa mesma gratificação não é paga aos fiscais concursados da Adagri, admitidos há quatro anos". A Adagri do Ceará - vale repetir - é tida como uma das melhores do País, pelo Mapa.

DIARIO DO NORDESTE

EM CAMOCIM, EMPRESÁRIA TEM CERCA DE 60 MIL REAIS LEVADOS POR ASSALTANTES.

Uma empresária camocinense foi vítima de assalto ocorrido por volta das 11h00 da manhã de segunda-feira (27) e teve uma quantia aproximadamente de 60 mil reais levada de assalto.
A empresária falou a polícia que no horário já citado estava saindo de casa em seu carro em direção a uma agência bancária quando foi abordada por um elemento armado aparentemente com uma pistola que apontou para a sua cabeça e de forma violenta anunciou o assalto, tomando na marra uma bolsa contendo cerca de 60 mil reais. A vítima ainda relatou que em seguida o bandido montou em uma garupa de uma moto Honda Fan preta que era conduzido por outro elemento que já estava o esperando alguns metros depois e fugiram do local.

Corajosamente a vítima ainda seguiu a dupla até uma certa distância e só parou porque os assaltantes efetuaram alguns disparos.
Ao ser comunicado da ocorrência, todo efetivo da PM que estava de serviço começaram a fazer diligências que se estenderam por todo o dia, porém sem êxito na captura dos elemetos até o momento. Policiais da DPC de Camocim ficarão responsável pelas investigações que apurará os autores do assalto.


49 pessoas foram mortas no Ceará no último fim de semana

Ao todo, 49 pessoas foram mortas no Ceará no último fim de semana (sexta-feira a sábado), segundo dados divulgados pela Secretaria da Segurança Pública (SSPDS). A média foi de 16,4 assassinatos por dia. Foi o fim de semana com o maior número de mortes do ano. Os dados vão na contramão da política de metas e premiações para agentes da segurança, que tem o objetivo de reduzir a criminalidade.

De 24 a 26 de janeiro, foram 23 pessoas assassinadas no Interior e 26 na Capital e Região Metropolitana. O dia mais violento deste fim de semana foi sábado, com 22 assassinatos, agora chamados pela SSPDS de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI).

O recorde anterior havia sido contabilizado no fim de semana correspondente a 17, 18 e 19 de janeiro, quando foram notificados 39 homicídios, o que representa média de 13 mortes a cada dia.

A assessoria da SSPDS informou que não havia representante disponível para comentar os números. Por meio de nota, a pasta informou que vem realizando semanalmente reuniões com os responsáveis pelas 18 Áreas Integradas de Segurança (AISs) do Estado. Nessas ocasiões, são analisados os dados estatísticos de CVLI, Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP), apreensão de armas e de entorpecentes e os responsáveis por cada área apresentam ações desenvolvidas.

“Os crimes cometidos estão sendo qualificados pela equipe da SSPDS, com o objetivo de adequar e direcionar as ações e operações desenvolvidas em cada AIS”, diz a nota. Sobre as metas para agentes da segurança, a SSPDS informa que a nova metodologia está em fase de implantação e ajustes. 

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Novo Oriente Ce: Usando máscaras de palhaços bandidos assaltam Banco do Brasil

A ousadia dos assaltantes de banco no Ceará parece não ter limite. Ontem, por volta das 15h, em plena luz do dia, a agência do Banco do Brasil localizada no município de Novo Oriente, a cerca de 400 quilômetros de Fortaleza, foi assaltada por um trio de homens armados. As informações dão conta de que pelo menos cinco bandidos estavam dentro da agência, passando-se por clientes, quando, na hora do fechamento do expediente bancário, anunciaram o assalto. Eles teriam, em seguida, rendido os clientes e funcionários, levando uma quantia ainda não divulgada pelo banco. O fato curioso foi que os criminosos, na tentativa de dificultar um possível trabalho de identificação por parte de testemunhas, usaram, durante toda a ação, máscaras de palhaços.
Na fuga, segundo informações da Polícia Militar, os assaltantes fizeram seis reféns e os levaram em dois veículos, para desespero das vítimas. Segundo testemunhas, os dois carros seriam um Corola e uma Pick-Up Strada. Os reféns foram liberados logo em seguida. Informações não confirmadas ainda dão conta de que houve um tiroteio entre os bandidos e a polícia, mas, aparentemente, ninguém ficou ferido durante a ação.
Diligências
Policiais civis e militares de Novo Oriente, de Crateús, de Independência e de Quiterianópolis foram convocados para participar das diligências na tentativa de prender os criminosos, todavia, até o fechamento desta edição, ninguém ainda havia sido preso. A Polícia disse que vai manter as buscas aos bandidos e há a possibilidade de usar as imagens capturadas pelas câmeras de segurança da agência bancária para facilitar na identificação e posterior prisão da quadrilha.
Balanço
A ação no município de Novo Oriente foi a quinta registrada somente neste mês em todo o Estado, segundo balanço do Sindicato dos Bancários do Ceará. A última ação foi registrada no município de Guaramiranga, a cerca de 100 quilômetros da Capital, no último sábado, 25, quando um grupo de cerca de 12 homens explodiu, durante a madrugada, um caixa eletrônico do Bradesco de Guaramiranga. De acordo com a Polícia Militar de Pacoti, por volta de 1h30, o grupo se aproximou e instalou os explosivos próximo ao caixa eletrônico, ameaçando quem passasse por perto com armas de grosso calibre. Poucos minutos depois, os explosivos foram estourados e o malote de dinheiro levado.

PMs de Santana do Cariri Ce trabalham sem estrutura

A pacata cidade de Santana do Cariri, localizada na região do Cariri-Oeste, com uma população de pouco mais de 17 mil habitantes, está passando por uma onda de insegurança pública inédita na história do município. Antes, a cidade era tida como um paraíso. Todavia, hoje, está vivendo um clima de medo e intranquilidade ocasionados, principalmente, pelo tráfico de drogas, roubos a estabelecimentos comerciais e residenciais, além de homicídios e estupros.
Os moradores afirmam que estão sendo alvo de constantes assaltos tanto em plena luz do dia como à noite, e isso vem ocorrendo tanto na sede do município, como na zona rural. Segundo a população, as forças policiais, apesar de terem a boa vontade para coibir a ação desses criminosos, estão trabalhando sem a menor estrutura. Relatos dão conta de que o município não tem sequer uma viatura da Polícia Militar. O único carro disponível para o patrulhamento é um veículo cedido pela Prefeitura Municipal, do programa Pró-Cidadania.
Delegacia em obras
Outro problema apontado pelos moradores é a falta de uma delegacia de Polícia na cidade. Quando as pessoas são pegues em fragrante, têm que ser levadas para os municípios vizinhos de Nova Olinda, Altaneira ou para o município do Crato, que fica a cerca de 50 quilômetros de Santana do Cariri. A situação está tão precária que não há, na cidade, como se registrar um simples boletim de ocorrência, pela prosaica razão de que não há nenhum computador interligado ao sistema da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Para piorar, as obras de reforma da cadeia pública, que foram iniciadas pela Secretaria de Justiça do Estado, estão paradas há mais de três anos, fato que revolta a população.
Assalto a comércio
O comerciante Cícero Salu denuncia que, recentemente, foi assaltado em seu estabelecimento comercial. Na ocasião, os bandidos, em plena luz do dia, chegaram a seu comércio e apontaram uma arma para a sua cabeça, forçando-o a ir até o cofre. “Os criminosos levaram a quantia de R$ 18 mil, e, se eu não tivesse aberto o cofre, eles teriam me matado. Foi um momento de muita tortura e angústia”, relata o comerciante. Cícero conta ainda que, como morador a muitos anos de Santana do Cariri, nunca tinha visto uma ação tão audaciosa como esta. “O pior de tudo isto é que meu estabelecimento estava cheio de clientes, e meu medo era que eles fizessem alguma coisa contra eles”. Por fim, ele critica a sensação crescente de insegurança na cidade. (com informações de Amaury Alencar).






Descumprimento de acordo com militares do Ceará causa insatisfação

Insatisfação dos Policiais e bombeiros militares rompem os muros dos quarteis






Fortaleza amanheceu hoje com algumas faixas que chamaram à atenção da população e até mesmo da imprensa. As faixas estavam em pontos de grande fluxo de pessoas e veículos e estavam direcionadas ao Governo do Estado, assinada simplesmente por Policiais e Bombeiros, sem uma identificação específica. São faixas de protesto contra o descumprimento do Governo ao acordo feito com os militares estaduais ao final do movimento paredista que teve seu fim no dia 03 de janeiro de 2012.

Já passados dois anos da assinatura do acordo algumas pautas fundamentais para a categoria, foram completamente esquecidas, como já falamos anteriormente, são estas: reajuste salarial 2013/2014, Lei de Promoções e hora-extra. A APS foi procurada por alguns veículos de comunicação sobre a autoria das mesmas e queremos aqui tornar público que não sabemos quem promoveu o protesto, apoiamos a iniciativa por entendermos que a categoria merece sim uma resposta do Governo quanto ao compromisso firmado diante de várias autoridades e instituições públicas que endossaram naquele momento o compromisso entre as partes envolvidas.

APS
Seja um assinante da APS e receba nossos boletins informativos. Basta nos enviar seu e-mail e pronto. Você irá receber novidades sobre nosso trabalho.

Conteúdo mais lido

Inquérito sobre morte de recruta da Polícia Militar aponta indícios de tortura

Paulo Aparecido Santos de Lima foi hospitalizado no Hospital Central da Polícia Militar após ser internado e passar mal durante treinamento   O inquérito da 33ª DP (Realengo) sobre a morte do recruta da Polícia Militar Paulo Aparecido Santos de Lima em novembro de 2013 aponta que há razoáveis indícios de tortura contra ele. Segundo informações do delegado titular da unidade, Carlos Augusto Nogueira.
Porém, não foram concluídas, as investigações,  apenas uma prévia foi enviada ao Ministério Público e à Justiça contendo depoimento de cerca de 30 testemunhas, entre alunos e oficiais do Centro de Formação de Praças (Cfap). Esse relatório dá ciência a esse órgãos sobre o que já foi feito sobre o caso. Informações do portal G1.  De acordo com o delegado, não há previsão para o término do inquérito, já que alguns exames periciais e de corpo de delito ainda são necessários. Quatro oficiais, incluindo um capitão e três tenentes, devem ser indiciados.
Paulo Aparecido Santos de Lima foi hospitalizado no Hospital Central da Polícia Militar após ser internado e passar mal durante treinamento no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), na Zona Oeste. Ele teve morte cerebral constatada dias depois. Ele teve queimaduras nas mãos e nas nádegas, além de insolação grave. A família acredita que ele tenha sido vítima de trote.
Para o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame,  houve excesso no treinamento e considerou “abominável” a conduta dos oficiais que comandaram os exercícios. O caso será investigado como homicídio, de acordo com o secretário. Os quatro oficiais responsáveis pela instrução dos alunos do curso foram afastados.
- Já existem dois inquéritos instaurados e essas pessoas irão responder por este homicídio. E o inquérito irá dizer se doloso ou culposo – completou. Os oficiais da PM responsáveis pelo treinamento já haviam sido afastados pela corporação após a divulgação do caso.
Beltrame diz que, diante do forte calor registrado naquele dia, quando a sensação térmica foi de 50ºC, os exercícios não deveriam ter sido realizados. “Nós precisamos de conduta em qualquer ação da nossa vida. Acho que num dia quente, num dia totalmente inadequado, a prática de atividade física não era adequada, não era recomendado para que fizesse o que em tese aqueles policiais fizeram.”

O Ministério da Justiça editou em 1010 uma portaria que estabelece diretrizes a serem seguidas pela polícia. O artigo 32 proíbe todas as formas de punição envolvendo maus tratos, tratamento cruel, desumano ou degradante contra os profissionais de segurança pública, tanto no cotidiano como em atividades de formação e treinamento.

CORREIO DO BRASIL